quarta-feira, 29 de julho de 2009

I’m Lost


Um olhar,
teus lábios.
Um perfume,
tua alma.
Uma flor,
teu cheiro de mar.
A relva molhada,
teu corpo a banhar.
A brisa a soprar,
teu frescor da manhã.
A essência do amor,
a te perfumar.
Sou beijo em teu peito,
teu desejo a cobiçar.
O céu por onde a lua caminha,
teus olhos de lobo a enfeitiçar.
O mar de ondas piratas,
teus gemidos a saquear.
Agora não sei quem sou,
Me perdi em seu amar.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Meu Querer


Cessem os relógios do céu,
derretam-se as cores da noite.
Que as estrelas se recolham no infinito
para descortinar o alvorecer
aos olhos dos girassóis.
Que a lua, não se despeça do sol
continuando a enfeitar o céu do seu olhar.
Seja enternecido o correr do dia,
com a sonora melodia dos pardais,
e o sol, preguiçoso, desperte a brilhar
no horizonte iluminando seu sorriso.
Quero que o dia eleve-se para estar
ao redor de nossos lençóis de mar,
que a brisa roube das flores o aroma
a misturar prazer e magia a inebriar,
e que o desejo seja ardente em nós
qual fogo a abrasar a alma e coração.
Que seja perene, do amor, o dia.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Águas Que Transbordam Amor


Sua voz rouca,
fluindo nas pedras
Causou-me feitiço.
Fez-me seguir seu doce canto,
por atalhos melodiosos
de pura poesia.
Acendeu meus desejos
a querer-te sem culpa.
Senti seu frescor como a brisa
a afagar-me a pele numa carícia sem fim.
Conheci seus detalhes
saciando minha sede de te ver,
e tocando sua alma,
saboreei seus segredos...
De mim, aspirou à essência
E de ti levei o olhar.
Nesse encontro, fomos águas
que transbordaram em amor.

terça-feira, 21 de julho de 2009

A(dor)mecida


Meio sorriso...
Um lenço alento.
Pérolas ao vento,
rolam em meu pensamento,
letras colhidas a mão
prescritas noite a dentro,
perderam a graça, pois não!
No peito um fogo ardendo,
no chão o mundo em sete pedaços,
sem vê-lo ou tocá-lo...
A banhar-me num mar de rosas adormecidas.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Vazia Solidão


Meu vazio
transbordou com sua ausência...
Silênciou a melodia
que pulsava em minhas veias...
Ofuscou o arco íris
precipitando a noite em meu olhar...
Entristeceu meu sorrir
fez-se da espera uma ilusão...
...Um nó na garganta,
um coração apertado
e na alma um amor
por ti esquecido.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Lágrimas


São elas novamente,
a rolar sobre pétalas de minha alma
como água límpida que nasce vertendo rios,
Se lançando em cascatas espumantes,
formando véu cobrindo meu olhos de mar.
São apenas ondas da ressaca
dessa saudade que me acompanha
cristalizando as pegadas
de minhas lembranças.
São as mesmas vertidas
Quando tento escutar
a canção dos lábios seus.
Quanto quero pensar em mim
E tudo em mim só lembra você.
São elas que afogam minha tristeza
quando sinto a tua falta.

Palavras Úmidas


Bem me quer...
Mal me quer...
Sopra o vento
a despetalar poesias...
O cheiro de versos no ar
encantam as borboletas
que bailam azulando o dia...
Gotículas orvalhando a manhã,
umidecem palavras,
molhando entrelinhas,
evaporando frases,
formando nuvens
no céu da boca,
dissolvendo sabor
do desejo só pra dizer...
Te quero!

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Único Tesouro


As águas desfiam o céu
São lágrimas da lua
Que se deitam bordando a terra
Em serpenteios sinuosos
Descem sobre as rochas de meu coração
Penetrando pelas frestas de minh’alma
Lapidando meu único tesouro...
O Amor

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Só Melodia


No compasso me lanço,
toando longe, solta...
Sou pauta,
sou nota,
sou melodia.
Tocada pelo vento,
nas folhas secas,
descortinando janelas,
varrendo silêncio...
Ecoando nas veredas de tua alma...

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Um Dia E Uma Noite


Mais uma vez,
um dia...
A procura da essência
nos versos, na poesia...
As flores se abrem
ao sereno frio,
sabendo que o sol
virá fecundo...
A noite é longa,
os sonhos ...
Qem sabe o sol
virá sereno?

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Derreto-me


Tento esquecer da poesia,
dos ventos que a trazem
assim tão manhosa.
A inspiração qual brisa
entra pelas frestas
de minha alma
enlevando-me
com seu aroma floral
dos contos de fadas.
Um feitiço que virou
páginas derramando letras,
criando oasis no papel em branco.
Provo de suas águas,
banho-me em sua grafia,
derreto-me em poesia.