quinta-feira, 16 de junho de 2011

CANTO


CANTO
Dentro de mim há um canto
que chora sem ser pranto
que de dor  retine o lamento.
Quem me vê assim sorrindo,
não viu no olhar a alegria,
não sabe da minha agonia,
tão pouco da fraqueza que sou.
Canto por que é só o que sei,
assim a minha sede de companhia se vai.
Enquanto afino o tom de minha agonia,
esvazio-me num eco profundo entre sons e ventos.
Entro enfim, após meu canto, em harmonia plena com o silêncio d'alma.
Solange Bretas

4 comentários:

Fabio Silva disse...

Muito lindo, sem palavras!

Caetano Campisi disse...

Olá, dedico-lhe o selo Stilish blogger Award por apreciar muito o seu trabalho.

Aguardo sua visita.

Pensando Alto
http://caetanocampisi.blogspot.com

Malu disse...

Solange, quanta ternura num só poema!!!
Lindo demais...
Abraços

*Lulu* disse...

Oi! eu vim só para dizer que amei essa poesia,
é linda!
Parabéns pelo blog, pelo bom gosto e sensibilidade.
Se você me permitir,
eu gostaria de postar a sua poesia em meu blog,
pela beleza que é. Comovente!
Um grande abraço.

Luciane

http://blogartstico.blogspot.com.br/