terça-feira, 2 de março de 2010

Maré de Sentimentos



Não sou mar...
O vento não move as ondas de minha poesia,
Nem deita na praia os versos naufragados no horizonte.

Sou maré de sentimentos...
Tomando ilhas virando embarcações
Movida pelo desejo da lua.

Sou gota de oceano que o sol evapora e a brisa leva.

Sou o desejo incontido de ser chuva a deslizar na vidraça de seu olhar.

Solange Bretas

5 comentários:

ney disse...

Chuva, poesia, lindo sorriso a brilhar nessa janela da alma. Abraço/ney.

Cinthia de Castro Fernandes disse...

em 3 selinhos pra ti no meu blog :D

Edith Lobato disse...

Valeu ter vindo aqui nesta tarde.Li versos belissimos, os versos deste poema. Parabéns e Feliz da Mulher.

Irene Moreira disse...

LIndo ... o que é uma vida sem sentimentos.

Beijos

Ronaldo Honorio disse...

Fluídicos versos Solange, fluídicos versos. Sentimentos, sementes, etéreo existir. Belos versos.