terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Onde Jaz o Amor


Abandonada  no silêncio
que retine dentro da alma,
dessa prisão esquecida
que em meu corpo segrega.
Lanço-me nas rochas da fria solidão
e sepulto as dores que meu coração
já não consegue controlar.
Deixo flores nas cicatrizes
onde jaz um amor
que ressuscita todos os dias.
Solange Bretas

4 comentários:

Cinthia de Castro Fernandes disse...

Olá !
Tem um selinho pra você lá no meu Web diário! Beijos

ney disse...

Poesia, sorriso, música, sol, Solange. Muito bom passar aqui. Abraço/ney.

Ronaldo Honorio disse...

Tens um poder de síntese ao captar profundos sentimentos, Solange. Aprecio muito esse dom, é um dom.. Seu blog é muito bem elaborado, moderno e bonito. Abraços fraterno.
Boa semana.

Irene Moreira disse...

Amor, solidão, renascer. Lindo tudo o que escreves Sol.

Beijos