segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Sensível Desejo


Sensível Desejo

Quero a leveza da brisa,
que se aventura por entre arvoredos
fazendo bailar as folhas no outono,
que com delicadeza penteia os trigais,
que na primavera, espalha no ar o perfume
da mãe natureza ao desabrochar toda manhã.
Quero o bailar de borboletas,
por entre as flores mimosas
dos jardins mais secretos
e o brilho de suas asas refletindo a luz do sol.
Quero da delicadeza do orvalho,
suas gotículas que se unem
e deslizam suavemente sobre pétalas
enchendo a rosa qual taça
a dar de beber aos beija flores.
Quero a macieis da relva
que conforta qual leito, qual ninho.
Quero a carícia da chuva fina,
que como afago, desce regando a terra.
Quero o encanto da alvorecer,
com sinfonia de pássaros a despertar a vida
e do arrebol, quero a sensualidade
que veste a noite com o deslumbrante brilho das estrelas.
Quero a magia das marés, das grandes ondas
que enfeitiçam olhares e luas.
Quero a pureza de um coração a pulsar
filtrando sentimentos e desejos
que adentram o peito alcançando a alma.
Quero os sentidos a flor da pele,
quero viver sem pressa, quero flutuar...
Quero, sobretudo, a sensibilidade de poder entoar um canto, de me doar num gesto fraterno, de deixar rolar uma lágrima de saudade, de amar sem medidas...
Quando morrer, quero misturar-me ao ar,
que enche pulmões, que sopra cortinas,
que mexe com o mar, que leva as nuvens a formar imagens ilustrando o céu.
Quero deixar minha essência por onde for,
como brisa suave que refresca e acaricia a face dos coqueirais...
Por que os insensíveis não morrem, viram pedras frias!
Solange Bretas

4 comentários:

Vento disse...

Na leveza das palavras senti a tua fragrância. A sensação de flutuar foi perfeita, são um encanto as tuas preces.

Beijo

JB disse...

Quero poder continuar a ler a sua sensibilidade poética! Deliciosa a forma como desperta os sentidos nas palavras que ecoam até aqui.

Gostei muito de conhecer o seu cantinho.
Bela melodia!

Beijinho

Malu disse...

Poesias e imagens lindas !



BjO e um Domingo de Paz...

JB disse...

É belo esse crescer mulher no palco das estações, em cada cor uma emoção, em cada florir um novo descobrir...

Beijinho