quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

PEDRAS



 PEDRAS
Aprendi a conhecer o tempo
quando comecei a andar com as pedras.
Elas machucavam-me os pés,
mas fortaleciam minhas  pegadas.
As dores me faziam sentir medo,
mas despertava-me a ousadia.
Então, desisti de falar com as rosas
e roubei delas os espinhos.
Faziam sangrar minhas mãos,
mas tornavam-me forte
na escalada da vida.
Dei meus pensamentos ao rio
e emprestei ao mar meus sentimentos.
Que o rio saiba navegar meu pensar,
que vá de encontro ao mar,
e na explosão dos sabores do sentir e pensar,
se lancem nas pedras as quais, me ensinaram
a conhecer o tempo e assim eu continue a caminhar.
Solange Bretas

2 comentários:

Vento disse...

Querida Solange

Vou procurar no infinito mar, quem sabe se lá encontro os teus sentires mais profundos.

Belo poema
Beijo

Vieira Calado disse...

OlÁ, boa noite!

Faz um tempo que aqui não vinha.

O seu blog continua interessante.

Saudações poáticas