sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Deixa Pra Lá


 Deixa Pra Lá

O rio tornou-se deserto.
Sem oásis ficou a saudade
restando somente a miragem de nós.

Melhor assim, fez o destino
secando a fonte onde o amor
era profusamente belo.

O coração tornou-se estéril
suplantou sentimentos
e a alma apenas aprecia a solidão

Um comentário:

MJV disse...

Olá Solange!!
Que bonito poema e a bela imagem a condizer...
Nunca esqueça que quando uma porta se fecha, logo uma janela se abre..
O universo reserva-nos sempre grandes surpresas!!!
um abraço, joaquina