sábado, 12 de julho de 2014



SILÊNCIO

Essa minha vida
tão louca, tão sã
tão dura, tão vã
tão pura de manhãs

Viver é um ato de coragem,
me perdoem os fracos,
porque meu viver
não é mero detalhe.

Vivo como a fome de uma fera
com a força de um herói
com os sentidos de uma águia
como lua e as marés

Ainda que me precipite a abismos
e que a vontade do mergulho
me tente empurrar deixo me cair
porque viver é experimentar a vida.

Fecho os olhos
a vida me beija a pele
o pensamento me distrai.
Meu silêncio é misto de dor e amor.

Solange Bretas

Nenhum comentário: