sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Meu Amor


Meu Amor
O meu Amor...
Não é página de um livro esquecido
no espaço escuro da solidão.
É pleno na eternidade da alma
é transcendente...
Ele retine no tempo,
reflete no  horizonte de um olhar.
É a essência do ser e do existir,
tem desejos de pertencer
e paixão em se dar.
Não se contém em dimensões,
o céu, não é seu limite.
Ele é o próprio esplendor.
...Assim é o meu amor ...
 Solange Bretas

Um comentário:

Cinthia Fernandes disse...

Qualquer coisa que se refere ao amor não deixa de ser belo nenhum segundo.
Adoro suas poesias !

Beijos, mami :D