sábado, 14 de novembro de 2009

Águas Silenciosas












Sem soluços,
molham os passos
apagam pegadas.
Inundam a alma
que, silenciosamente,
transbordam emoções.
Faz sentir um misto
de saudade e tristeza
ao misturar-se ao mar
de lembranças tuas.
Serpenteiam por labirintos
que provaram afagos,
cuja alegria morou
e se fez de partida.
Águas silenciosas
brotam  no peito
onde mora a solidão.
Solange Bretas

Nenhum comentário: