domingo, 10 de maio de 2009

Impávido Amar


Alcei vôo, ganhei o céu...
Nas alturas, ao cobiçar tocar estrelas,
sucumbi...
Nas asas das cinzas renascidas,
fiz escudo impérvio.
Pintei a alma,
calcei os pés,
armei as mãos...
De coração em punho,
cavei trincheiras soturnas
nas veredas íngremes do sentir...
Nas batalhas do acaso
lutei,
chorei,
sofri.
O medo perdi,
de alento me adornei... Amei.
Solange Bretas

Um comentário:

Rose Tunala disse...

Oi Sol,
Seja bem vinda ao mundo dos blogueiros.
Bom ter você por aqui com seus lindos poema.
Beijos,

Linda noite pra vocÊ