segunda-feira, 11 de maio de 2009

Naufrágio


Mergulhada no mar do amor
Sou naufraga de primeira viagem
Estou inteiramente embebida, embriagada
Inundada por suas águas
Elas me levam e me trazem
Não tenho escapatória
Não avisto se quer um cais
Nem tábua para me agarrar
Assim nesse mar de ilusão flutuar
Às vezes afundo pareço morrer
O mar do amor me traz a tona
E permite mais um suspiro
Luto para manter a viva
Ele exerce sua enorme força em mim
Fazendo com que desfaleça
E eu assim, ainda mais a sua mercê
Se aproveita de mim deslizando sobre meu corpo
Suas correntes às vezes quentes devolvendo-me a vida
Ou muito fria, me fazendo experimentar a solidão
Lança sobre meu corpo
Suas gigantes ondas, fazem temer
Diante da violência que me toma
Nesse momento me entrego
Pois já não há mais nada a fazer
Senão me deixar levar por ele
Deixar que ele, o mar do amor,
Torne-me parte dele e ele parte de mim.
Solange Bretas

Nenhum comentário: