quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

MINHAS PÉROLAS




Não farei como Pandora.
As pérolas que guardarei
não serão feitas de máteria
cujo o tempo destrói.
Meus tesouros são palpáveis
no interior de minh'alma e,
é lá, que eles se encontram
bem guardados.
Não hei de perder meus dias
chorandos mágoas do passado.
Vivo contemplando a felicidade.
Tesouros vivos, pulsando liberdade
é só o que retenho na lembrança.
Nessa caixa onde guardo sentimentos
livre de mágoas e de lamentos,
tem um segredo que dia a dia alimento
Nem de vida nem de morte,
mas de amor eterno, eis aí minha sorte.


Solange Bretas

Um comentário:

Irene Moreira disse...

Esta poesia "Minhas Pérolas" me levou ao selinho que acabei de ganhar de alguns blogs e estarei postando e te ofertando com honra e mérito. Assim que estiver postado na Casa dos presentes te aviso. Beijos e bom domingo