domingo, 11 de abril de 2010

Vozes


Vozes

Dádivas dos Deuses.
Por imaginação.
Que damos a elas varias destinação.
Amigos, colegas e os do além.

 Que ecoam no silêncio
 na alma do lado de dentro
 do lado de fora de alguém
 

As que não podemos detectar
de onde estão a partir.
Que não a vemos balbuciar.
Mas a mente, alma as definir.


São energias a invadir
Espaços de o nosso existir
Mensagens querendo deixar



Vozes que a nós chegam
Tornando-nos receptores
Exigem que sejamos portadores.


Bastando-nos apenas ser dóceis
A entender o que nos dizem
E delas sermos pontes.


Duo com o poeta elio candido de oliveira.
recantodasletras.uol.com.br/autor.php

Um comentário: