segunda-feira, 5 de abril de 2010

Sonho Apenas



Quisera sonhar poesia,
me vestir de sua doce melodia,
beber de seu vício  embriagador.
Pudera ser verso ao avesso
da melâncolia desigual a dor.
Meus sonhos são águas
que rolam margeando solidão,
sem encontro, sem mar...
Sonho contos sem fim,
sem céu, sem luar...
Sonho sem estrelas a contar
tendo apenas linhas gravadas  
 na palma de um adeus 
sem horizonte, sem sol , sem saber amar.
Sonho apenas a sonhar.
Solange Bretas 

Nenhum comentário: