sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Invisível Presença



O coração pulsa diferente
Tudo se repete na mente
Alma purgando latente sente

Sua presença invisível
Aquece sem fogo acender
Protege sem arma empunhar
Acalma por tanto querer

Crio-te em minha mente
Te fito sem te ver presente
Como sentir o que me é ausente?
Meu corpo pulsa, lateja carente

Desejo seu amor, quem sabe um dia tocar
A fragrância do seu corpo a me embriagar
O brilho dos seus olhos em mim enfeitiço será
Quem sabe se de tudo um dia eu provar
Quem sabe se a vida deixar.

Nenhum comentário: