sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Em Companhia da Solidão


Ardeu o desejo...
vesti minh'alma de poesia,
peguei meus versos e saí...
Iluminou meu olhar ao lembrar,
brilhou meu sorrir em te encontrar.
Mas veio a razão,
justamente na contra mão
chamou à conversa o coração
que sentiu a desilusão.
Parei no caminho, pus-me a ouvir...
Senti o frio a invadir a poesia
e minh'alma ficou sem chão.
As lágrimas embaçaram a visão,
guardei meus versos sem graça,
Voltei pra saudade em companhia da solidão.
Solange Bretas

Nenhum comentário: