sábado, 10 de outubro de 2009

Medo


Tive medo...
Ontem quando tudo era breu,
aqui no interior do meu eu,
mas logo veio à luz o segredo.
Uma vez que em degredo,
meu coração estava jurado
e por amar foi condenado.
Tive medo...
Quando me procurei nos olhos do espelho,
não percebi que o tempo passou e em vermelho
ficou meus dias, meus céus, meu chão...
não pude conter as lágrimas desde então.
Tive medo...
Não consegui olhar para trás,
tudo é lembrança, saudade e agora tanto faz...
Fixo-me ao horizonte, quero ver o que o destino me traz.
Estendo meus braços, sei que entre eles ainda há espaço,
pois amor que dediquei agora é sentimento retraço,
meus dedos que um dia empunhou um pincel, hoje, esqueceu o traço.
Tenho medo...
Solange Bretas

3 comentários:

ney disse...

Em frente, em direção ao horizonte, e vamos seguindo os passos dessa bela poesia. bjs/ney.

Chica disse...

Um medco expresso muitíssimo bem em teus versos...beijos,tudo de bom,chica

Fábio Aiolfi disse...

lindos versos... parabéns pela beleza de tuas palavras...