sábado, 6 de junho de 2009

Mar e Sereia


...Ondas lascivas se derramam na areia,
provocando frenesi de espumas brilhantes,
num vai e vem insinuante de desejos.
Evolui e se lança cada vez mais e
assim, ele se coloca a seus pés.
Louco por tocar seu corpo de sereia,
tomá-la em seu colo, afagar seus cabelos
dourados de sol, penteados de estrelas.
Trazendo de presente, um colar de rios,
guardados em ostras cor de pérolas,
tecido ao som de sua voz rouca de mar
para adornar seu protuberante colo nu.
O vento sopra seu perfume de algas,
essência que compõe suas águas mornas.
Ela flutua num suspiro profundo e o sente banhar...
Seu olhar qual feitiço, mexe com seu esmaecer
Libidinoso e, deslizando sob a areia,
Mar e sereia se unem, se tocam e se rendem num esplendoroso amar.
Solange Bretas

Nenhum comentário: