quarta-feira, 3 de junho de 2009

NOS RAIOS DO LUAR


Encantei-me com tua poesia
Mergulhei em sonhos
Vesti-me de fantasia
Em melodias poéticas
Banha-se meu entardecer
Antes ao longo do dia
Alimentava-me de suas líricas letras
De suas mãos deitam-se as palavras
Em branco papel como lençol
Grafites delineando formas e curvas
Ondulantes sonoras saem de seu coração
Rabiscos escritos que chamam minha atenção
Prende meu olhar, verdes de esperança
Penetra atinge coração feito flecha
Assim como raio de luar
Ilumina a noite teu poetar enamora-me
Encantos docemente sorvidos
Ao te ler, posso até tocar-te
Embriaga a alma, faz suspiros brotar
Sou suscetível, ao amar que propõe seu versejar
Louca serei eu de negar,
Em suas linhas é onde gosto de ficar
Se for pouco meu conhecer, esse pouco me basta
Se em tuas linhas eu puder me encontrar
Nunca me engano ao clarão do luar que inebria
Reflexo de sua poesia me faz em loba transformar
Escrever como a ti gostaria,
Se eu pedisse você me ensinaria?
Seria eu sua lua e meus raios seu iluminar
Criador e criatura a inspirar
Superar seu versejar só se for pra em ti brilhar
Fora de ti saberei eu grafar?
Sou criança adoro de poeta brincar
Ensina-me que eu te ensinarei
A criatividade assim usar
Meu tempo menina passará
Mas será mais doce com seu belo rabiscar
Nem tudo aqui poesia, ler as entrelinhas terá
Na realidade me faço menina luar
Lanço meus raios em seu rabiscar
Quem sabe assim ganho de ti inspirar
Terei sonhos e fantasias realizadas, será?
Desculpe a falta de jeito,
Mas não houve outro meio de me declarar
Você meu Anjo poeta, minha alma te guardará
Adoro e amo seu Rabiscar.
Solange Bretas

Nenhum comentário: