quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Companheira de Solidão


Lá fora as folhas cantam a melodia de fim de tarde
Os passáros retornam alegres aos seus ninhos
E no céu... Há uma nuvem só...

Quisera tocar o azul que abraça o universo
e unir-me a ela, a nuvem, nesse meu sorriso pálido
para voarmos ao sonhar dos ventos enlouquecidos

Conquistaríamos as estrelas mergulhadas no mar

E no seio da noite escura, esconderíamos nossa solidão
.

Solange Bretas

Nenhum comentário: