domingo, 31 de janeiro de 2010

Vôo Livre


Sou anjo despida em asas
de meus poros evapora a liberdade
meus pés anseiam por estrada.

Saio do pedestal pra adornar o horizonte
onde o sol arde a devorar-me sedento
por me ver assim tão alva e pura.

Deixo o ninho frio da solidão.

Aprendi a voar sem ter asas.


Solange Bretas

Nenhum comentário: