segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Cativa De Meu Poetar


Beijos os dedos de minha prosa,
assim sem malícia no olhar...
Sorvo de meu pensar a inspiração,
delíro em meus versos de paixão.
Faço carícias em minha poesia
arrepio-me as páginas tocando nas entrelinhas...
Fizemos amor, minha poesia e eu...
Em líricos lençóis bordados de estrelas,
nas noites cheias de cirandas ao luar...
É paixão que não arrisco descrever,
só sei que ela me leva a loucura
e como me doma não consigo lutar
sou cativa em meu poetar.

Um comentário:

ney disse...

Mas ficar assim cativa é gostoso, é do bem, a inebriar a alma, os sonhos, os sentidos, o viver. Viva a poesia! Lindo texto. bjs/ney.