terça-feira, 8 de setembro de 2009

Versos Loucos


Versos que agora invento,
Jogados ao vento, colhidos ao léu.
Bordados no céu da boca,
pintado pela menina dos olhos,
Lidos na palma da mão.
Recortes de palavras soltas,
Burlescas, sobre letras incontidas.
Pobres ricas rimas brancas,
não encontro nesses versos
nem sei escrever, confesso!
Mas a que vem essas palavras
a esmo, se não encontro folhas
que sirvam de ombro a deitar?
Teimosos versos eu diria, até por ironia,
quiseram em mim, grafar.
Loucas letras, coitadas,
nãos sabem o que fazem estão gastas!
Desbotadas feito anil no mar,
iluminadas qual sol em noite de luar,
provadas pelo fogo a incendiar,
não sou poeta tão pouco seu versar.
Bebo o lirismo, brindo com a realidade,
devaneios, alguém diria, dessa minha mania
de escrever tudo sem dizer nada!
Só ele sabe esses versos que invento,
cabe bem na boca do vento
a soprar em seus ouvidos...
Esses versos loucos, meu alento!

2 comentários:

Chica disse...

Loucos??? Lindos! beijos,chica

jeronimo disse...

Estes versos podem ser loucos, soltos ao vento, enfim, não importa. O que importa é que ficaram lindos e consistentes!
Parabéns, querida poetisa!
Bj!