sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Pétalas Secas


A noite fez-se de outono
Vestiu sua obscuridade
Com as pétalas secas
de minha alma sofrida.
O fruto não vingou.
O seio não foi fecundo,
no cálice não se abrigou vida.
O que faltou?
No ar, paira o perfume
do abandono de primavera,
deixei de ser florir.
O vento forte sopra em minha face
varrendo jardins do meu olhar
levando consigo o que pensava ser meu
as folhas, pétalas e o que se sonhara
ser um doce fruto...

Nenhum comentário: