domingo, 27 de setembro de 2009

Silêncio


Vago ...
Sou o silêncio que seus olhos me lançaram.
Sou o vazio do que ainda provo
nas lágrimas que verti.
Fui mais de você quando percebi
que nada restou de mim.
Sou o silêncio de meus lençóis
na escuridão do meu peito sozinho.
Sou silêncio que preferiu se calar
ao que rejeitado caiu no esquecimento.
Sou o silencio que cortou o corpo, cobriu a alma de breu.
Sou o silêncio que matou a poesia de meus lábios,
que sufocou o grito de meus versos,
que apagou da face das entrelinhas meu sorrir.
Sou silêncio a ecoar no que agora é só vazio...
Solange Bretas

Nenhum comentário: